Notícias
Força do agronegócio no comércio exterior.
quarta-feira, 10 de setembro de 2014

1

As exportações de sete produtos agropecuários responderam por 30% das vendas totais do País no acumulado de janeiro a agosto de 2014. A participação do setor no conjunto da balança comercial é ainda mais expressiva, tendo em vista que a soja em grão ocupa a primeira posição na lista dos principais produtos exportados pelo Brasil, com embarques de US$ 21,4 bilhões nos oito primeiros meses do ano.

Entre janeiro e agosto, as exportações totais renderam US$ 154 bilhões ao País. A soja em grão, o farelo de soja, o açúcar em bruto, as carnes de frango e bovina, o café e a celulose contribuem com US$ 46,5 bilhões deste montante, mostra levantamento feito pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) a partir de dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

O farelo de soja também ocupa posição de destaque no ranking exportador. Os embarques desse produto crescem 43% no acumulado de oito meses, na comparação com igual período de 2013. Este desempenho garantiu ao farelo de soja a quarta posição na lista dos produtos mais vendidos pelo Brasil no exterior. O segundo e terceiro lugares são ocupados, respectivamente, por minério de ferro e petróleo em bruto.

Índice de commodities tem queda de 1,34%

Os preços das commodities, produtos primários com cotação internacional, apresentaram queda de 1,34%, em agosto comparado a julho. Com o resultado, o Índice de Commodities Brasil (IC-Br), calculado mensalmente pelo Banco Central (BC), apresentou queda de 2,69% em 12 meses, encerrados em agosto. O IC-Br é calculado com base na variação em reais dos preços de produtos primários (commodities) brasileiros negociados no exterior. O Banco Central observa os produtos que são relevantes para a dinâmica dos preços ao consumidor no Brasil.

No mês passado, o segmento agropecuário (carne de boi, algodão, óleo de soja, trigo, açúcar, milho, café, arroz e carne de porco) apresentou queda de 2,24%. O preço das commodities do segmento de energia (petróleo, gás natural e carvão) caiu 1,45%, enquanto o de metais (alumínio, minério de ferro, cobre, estanho, zinco, chumbo e níquel) apresentou alta de 2,76%.

Em agosto, enquanto o IC-Br apresentou queda, o índice internacional de preços de commodities(CRB), calculado pelo Commodity Research Bureau, registrou alta de 0,65%. Em 12 meses, houve queda de 0,35%. (Agência Brasil)

Fonte: Jornal O Hoje

quarta-feira, 10 de setembro de 2014