Notícias
Produtores goianos estão entre os mais competitivos.
sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

1

A competitividade dos produtores rurais goianos é a oitava maior do País. Os dados estão no Índice de Competitividade do Agronegócio do Brasil, divulgado ontem pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

O ranking foi formulado a partir da análise de seis variáveis: infraestrutura para o transporte dos produtos, nível de educação do trabalhador rural, qualidade dos serviços de saúde, ambiente macroeconômico, grau de inovação e disponibilidade de mão de obra no Estado. Para a criação dos indicadores, foram utilizados dados de 2011.

Goiás tem o maior indicador de mercado de trabalho com a segunda menor taxa de desocupação do País. O Estado também aparece na segunda colocação no que diz respeito à produtividade do trabalhador rural, perdendo apenas para o Mato Grosso.

Goiás ficou na 9ª posição no ranking de disponibilidade de mão de obra rural. Em termos de qualificação da mão de obra disponível rural, o trabalhador goiano também ocupa a 9ª posição neste ranking.

Ranking

Os produtores rurais de São Paulo são os mais competitivos do País. Santa Catarina, Distrito Federal, Paraná e Rio Grande do Sul vieram em segundo lugar.

“O indicador de cada um desses Estados está muito próximo, por isso, não é possível precisar quem está melhor”, afirmou Marcelo Ávila, assessor técnico do Instituto CNA. No terceiro bloco, ficaram Minas Gerais, Espírito Santo, Goiás –na oitava posição – e Rio de Janeiro.

Infraestrutura e inovação precisam avançar

O estudo foi feito com base em dados oficiais do governo, como os fornecidos pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) mostra que, no que diz respeito à infraestrutura, Goiás aparece na 18ª posição no ranking da CNA. Pesou contra a baixa densidade ferroviária, a ausência de estação portuária e a quantidade de rodovias.

Goiás é o 12º estado mais inovador do País, segundo o estudo, com a 9ª posição no número de patentes. Sobre os investimentos em bolsas de estudos e em pesquisa a posição goiana cai para 16ª e 12ª, respectivamente.

O ambiente macroeconômico goiano ocupa a 12ª posição. Esta variável observa a dimensão do mercado interno, onde Goiás aparece na 6ª posição, o alcance do mercado interno (11ª), a variação do PIB do agronegócio (21ª) e a arrecadação de ICMS sobre o PIB (20ª).

Educação e saúde

Goiás é o sexto estado com o maior indicador de educação com o quinto maior nível de aprovação rural. Os três estados com os maiores indicadores de educação foram Santa Catarina, São Paulo e Paraná.

Com relação à saúde o ranking coloca Goiás na 10ª posição, com a 23ª taxa de mortalidade infantil e a nona taxa de expectativa de vida ao nascer. O Estado ocupa ainda a maior taxa de internações hospitalares.

Fonte: Jornal O Hoje

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014